Tweek X Craig e as fangirls de yaoi de South Park.

T

Todos conhecemos South Park. Desenho animado conhecido por sua sátira social, paródia de celebridades, uso de palavrões, sexo, humor negro, humor vulgar e humor chulo, e pelo seu conteúdo, não ser recomendado a ninguém.

Disclaimer

É também uma das grandes animações da década atual, e da década passada. Está atualmente em sua 19ª temporada e comemorando quase vinte anos de existência. Entre seu grande público se concentram os fãs de animações adultas, aqueles que se interessam pela sátira social que é feita, a molecada (eternamente hipnotizada pelo humor negro e vulgaridades), e também as garotas do yaoi.

Sim, South Park tem uma parcela considerável de sucesso entre as garotas das fanfics, das fanarts e do yaoi, sendo uma das animações ocidentais com maior número de yaoi disponível na internet.

No site fanfiction.net, South Park pode ser notado como a sexta animação ocidental com o maior número de fanfics escritas.... a grande maioria é yaoi.
No site fanfiction.net, South Park pode ser notado como a sexta animação ocidental com o maior número de fanfics escritas…. a grande maioria é yaoi.

Aos que nunca ouviram falar, yaoi é um subgênero da ficção erótica, cujo foco é o romance homossexual masculino. Em sua maioria, yaois são escritos por garotas e lidos por garotas. Sendo um subgênero originado no japão, o yaoi é visto em sua forma mais comum nos mangás, mas também pode aparecer como ilustrações e contos, e é notavelmente presente como fanarts e fanfics, para as fãs de animes e mangás idealizarem romances entre os personagens e entre os shippings favoritos dos fãs.

Nas palavras de Wendy Testaburger:
Nas palavras de Wendy Testaburger: “yaoi é uma mistura de emoção e beleza, envolvendo duas pessoas cujo amor é desprezado. A arte tenta demonstrar que todo amor é mágico.”

Shipping (derivado da palavra relationship e abrasileirado no verbo shippar) é o ato dos fãs de parear dois personagens, e desejar ver romance entre dois personagens específicos em uma obra. Muitas vezes os que foram pareados não estão realmente em um relacionamento na obra em questão, mas é o desejo desses fãs que eles estejam. Geralmente criados, pois os fãs vêm alguma química entre dois personagens, e na maneira como suas personalidades combinam, que os fãs acham que dão base para uma grande história de amor. Nessa área da internet, que provavelmente foi testemunhada por todo mundo que se envolveu muito a fundo no fandom de uma obra ficcional, fanfics e fanarts de shippings de personagens são comuns, e repetição de certos pares são ainda mais comum, quando a tal da química que a série não trabalha é um consenso entre os fãs. Nesse momento o fandom oficializa o casal em questão com um nome que costuma ser uma mistura do nome dos dois personagens. E nesse contexto, yaois surgem o tempo todo. Onde tem fangirls em alto número, eventualmente surge o yaoi.

E se você consegue consumir obras de ficção na internet e falar sobre elas na internet, e se aprofundar sobre elas na internet, sem ter que lidar com nada disso que eu citei… meus parabéns, isso é sinal de que você consome obras de ficção em um nível saudável e legal. Não deixem ninguém te zoar na escola.

Enfim, eu descobri faz uns quatro anos, aproximadamente, que South Park tinha uma boa parcela de seu fandom envolvida em shippings, yaois e em inundar a internet de fanarts e fanfics, de casais yaois. E foi um grande choque, pois é um público que raramente associo com sátira social, o principal aspecto que me atrai em South Park.

YahooRespostas
Não fui o primeiro nem o único a ouvir falar desse submundo das fangirls de South Park a ficar chocado.

O que na época eram coisas que eu associava somente ao público otaku, mas se eu prestasse atenção, eu veria que South Park sempre flertou com o público otaku. Do Chimpokomon até a Princess Kenny, uma longa relação de constante citação aos animes.

De vários casais yaois que os fãs de shippings em South Park se focam, existe um casal em especial que se destaca: Tweek e Craig. Ou Creek como é chamado nesse subfandom de South Park.

Creek
Se procurar por Creek no fanfiction.net você vai encontrar 1.147 fanfics escritas onde os dois são um casal.

Tudo começou no ano de 1999, quando South Park estava na sua terceira temporada, e os criadores fizeram um episódio chamado Tweek vs Craig, onde os protagonistas manipularam o personagem secundário Tweek Tweak (que só tinha aparecido como personagem nomeado e com falas em um episódio da série até então), e Craig Tucker, um personagem de plano de fundo em sua primeira aparição com diálogos. Os garotos cismaram que queriam ver os dois brigando, e os dois brigaram.

TweekvsCraig
O que a série mostrou.

E desde então, Creek é algo que existe na comunidade yaoi de South Park. Eu não sei detalhes de como um episódio meia-boca dos dois se batendo deu nisso.

Deviantart
O que a internet tirou disso.

Eu dei uma olhada na internet para escrever esse post, e aparentemente alguém notou como desde o episódio da luta, os dois personagens costumam aparecer um do lado do outro com alguma frequência. Eu assisto South Park faz quinze anos e nunca notei isso, porém alguém notou, aparentemente.

CraigTweek

E esse é todo o background sobre esse shipping até então. O shipping tem uma página própria dentro da Wikia do fandom de South Park, para mais detalhes…

… Sim, existe uma Wikia só pro fandom de South Park. Bem-vindos à internet.

Agora, o motivo pelo qual eu estou falando disso, e apresentando toda essa comunidade por trás dos fandoms na internet, é porque no dia 25 de outubro de 2015, dezesseis anos após o episódio que começou com o Creek e seu fandom, os criadores de South Park, fizeram um pedido aos fãs de mandarem a eles o máximo possível de fanarts de Creek. Ou seja, reconheceram pela primeira vez essa parcela de seu público.

E é possível notar a empolgação do fandom com o pedido.
E é possível notar a empolgação do fandom com o pedido. Aqui o link da página do pedido.

O que ocorreu poucos dias depois foi o episódio Tweek X Craig, repararam na semelhança com o título do episódio de 1999? Pois é, nem um pouco acidental. O título é uma referência direta ao episódio que iniciou todo o fenômeno, pois o episódio é um dialogo direto com o fenômeno.

A premissa do episódio tem seu início quando todas as garotas orientais do colégio de South Park decidem expor os desenhos yaois que elas fizeram de Tweek e Craig como uma forma de demonstrar a cultura delas. E diante de inúmeros desenhos, em estilo anime, de Tweek e Craig em atividades amorosas/sexuais – que são as fanarts que mandaram para os autores ao longo da semana, trabalho real dos fãs –, as crianças e os adultos ficam confusos.

WendyFanart

Não confusos em relação à homossexualidade, a qual eles entendem bem, mas em relação ao fato de que eles não entendem o conceito de yaoi, e são incapazes de entender o que fez as garotas asiáticas interpretarem um subtexto gay entre Tweek e Craig. Eles não sabem porque elas transformaram os dois em um casal e presumem que o motivo dos desenhos, é que eles devem realmente ser gays.

A 19ª temporada de South Park é a segunda temporada desde que a série resolveu ter uma continuidade forte e constantemente presente (muito embora a série tenha tido uma continuidade media até a 17ª temporada), e é a primeira temporada da série com um tema central conectando a temporada inteira. Que é a adoção do politicamente correto como forme de trabalhar a autoestima. Mas esse tema vai ganhar o próprio post aqui, dentro da chaminé, quando a temporada for concluída, por isso não focarei muito no tema nesse post. Porém é por conta dele que todos os habitantes da cidade ficam muito felizes de saber que Tweek e Craig são gays.

Os pais de Tweek o parabenizam por ser gay. Para o desgosto dele.
Os pais de Tweek o parabenizam por ser gay. Para o desgosto dele.

Tão, mas tão felizes que eles ignoram completamente o fato de que eles não são gays, e estão muito desconfortáveis com todos os habitantes de South Park felizes pelo relacionamento. E quando eu digo felizes, eles estão felizes mesmo. É o primeiro casal gay de jovens na cidade, e todos querem celebrar um amor tão puro, um amor tão belo que reascende a paixão de todos os outros casais que já existiam na cidade, como se todos redescobrissem o conceito de se estar apaixonados, vendo os yaois de Creek.

RandySharon

E Tweek e Craig estão odiando isso. Eles inicialmente tem uma briga violenta (em outro dialogo direto com Tweek vs Craig que iniciou essa história toda em primeiro lugar), mas a briga não resolve nada, afinal a culpa não era de nenhum dos dois, e todos interpretam como uma briga de casal, piorando a situação.

TweekvsCraig

Então Craig bola o plano de sair do armário junto com Tweek e assumir ao mundo que eles são gays e namorados, pois se eles pararem de negar, eles então podem terminar oficialmente, na frente de todo mundo, e todos vão tratar como se eles não fossem um casal, pois eles terminaram. Tweek é inseguro, paranóico e estressado, e acha muita pressão ter que ser convincente para simular um término diante da escola inteira, mas Craig convence Tweek que ele consegue ser realista, que ele é melhor do que ele se imagina e capaz de fazer muitas coisas se acreditar.

E o resultado é hilário, pois Craig é um péssimo ator na hora de fingir o término, e Tweek motivado faz uma excelente performance, fingindo estar magoado, e inventando uma elaborada história onde Craig está traindo ele com um cara chamado Michael e foi um namorado abusivo. O que deixa Craig completamente sem reação por não saber como lidar, e o resultado é que todos agora acham que o Craig é um grande de um cuzão.

Termino

Ah sim, e todos entenderam que eles não são mais um casal, e vão tratá-los como se não fosse um casal. Isso é bom, não é? Não, não é.

Não. Eles eram a inspiração da cidade, agora que eles brigaram, tudo é triste. Todos estão tristes. Acabou o romance na cidade, e todos tem que lidar com a realidade que aquele amor idealizado que eles viram nos dois garotos se foi.

GeraldSheila

Tweek nota que todos estão deprimidos de lembrar que o amor entre ele e Craig acabou (sendo que ele nunca existiu), que ele resolve falar com Craig e combinar deles falarem para todos que eles voltaram, tendo em vista como é importante para aquelas pessoas, acreditar que os dois são um casal. Ele explica pro Craig, que o Craig despertou algo nele que ele não sabia que ele era capaz de fazer (atuar), e que ele quer melhorar as coisas e fazer o Craig perder a má reputação. Mas Craig recusa, ele não é gay e não vai fingir que ele é só para deixar todos felizes. Ele não vai ser o que ele não é, ele vai ser ele mesmo, e se Tweek ainda quiser manter a imagem de gay pelos demais, vai ter que ser com outro garoto.

“Eu sinto muito, Craig. Você fez eu acreditar em mim mesmo de uma maneira que eu nunca fiz antes. Eu não achei que eu tinha isso em mim, mas… você tinha razão. Eu sou capaz de mais do que eu acho. Você mudou algo em mim, e agora eu quero consertar o que estiver te magoando.”

Porém Craig muda de ideia após um discurso de seu pai. O pai de Craig era o único dos pais do colégio a se sentir desconfortável com o filho ser gay. Ele ficou remoendo a informação em silêncio o episódio inteiro, até ver como Craig estava mal com a situação toda. Ele repensou a situação e fez um discurso pro filho sobre como ele aceita Craig da maneira como Craig é. E ao ver seu pai repensar sua homofobia, pois ama o filho acima de tudo, Craig entende a importância que o casal tinha na sociedade e aceita voltar com Tweek.

“Filho, me escute. Você não pode evitar de ser gay. Eu estava acostumado a achar que ser gay era uma escolha, mas você não escolhe nada. As japonesas escolhem quem elas escolhem e é isso. Eu não entendo nada disso, mas eu sei que se você tentar resistir, será infeliz a vida inteira. Todo mundo tinha tanto orgulho de você, e eu estava somente sendo egoista. Eu quero ter orgulho de você, também. Eu gosto do Craig Gay. Eu te amo.”

Quem me dera, uma cidade interiorana com só um homofóbico em toda a comunidade, e que ele muda de ideia quando vê que o filho é gay, em vez de antagonizar o filho. Não é nem um pouco realista. Mas o episódio não é sobre homofobia nem sobre retratos realistas de como gays são tratados pela sociedade (se fosse seria um fracasso). O episódio é sobre Tweek e Craig descobrindo que existe uma comunidade inteira de pessoas para quem é muito importante acreditar que eles estão juntos, e que determinou neles um casal para ser o símbolo de todo o idealismo do romance em suas vidas.

E pelo bem dessa comunidade, Tweek e Craig decidiram vestir a máscara e fingir que namoram.

Juntosenfim

Ao fim do episódio eles não viraram gays, nem se apaixonaram um pelo outro, nem sentem a mínima atração um pelo outro. Só assumiram o status de casal. E se tornaram amigos um pouco melhores do que eram com a história toda.

E com isso Trey Parker e Matt Stone canonizaram um shipping extremamente surreal, sem realmente alterar os personagens. Se as fangirls queriam ver eles namorando, eles fizeram eles namorarem, e continuarem sendo quem eles são. Porém eles se tornaram um casal, unicamente para agradar essa comunidade que acha importante eles serem um casal.

-Talvez devessemos falar pra todo mundo que voltamos a namorar. -Cara! Eu não sou gay e você também não é. -Sim, mas o que isso tem a ver com qualquer coisa?
-Talvez devessemos falar pra todo mundo que voltamos a namorar.
-Cara! Eu não sou gay e você também não é.
-Sim, mas o que isso tem a ver com qualquer coisa?

Essa comunidade é literalmente os habitantes da cidade recém-apresentados ao yaoi, mas também é, em um espectro maior, as fangirls da série que viram um episódio do shipping delas virando canônico. O episódio não se contentou em usar a existência desse shipping como um pontapé inicial para zoar os personagens. O episódio inteiro foi um dialogo com essa comunidade. Reconhecendo que ela existia, que ela fazia parte do vasto fandom da série, e dando a esses fãs um episódio onde todos os personagens aceitam a prática do yaoi, e acham tão legal, que um relacionamento que só existia na mente desses fãs virou… não um relacionamento, mas virou algo.

Tweek e Craig de boa, jogando videogames e tendo um dia de amigos. E a comunidade feliz por interpretar um romance por trás de isso tudo.
Tweek e Craig de boa, jogando videogames e tendo um dia de amigos. E a comunidade feliz por interpretar um romance por trás de isso tudo.

Desde que o mundo se tornou digital, e as pessoas podem criar fóruns online para debater o que gostam, se tornou relativamente comum os desenhos animados fazerem episódios que sejam respostas diretas ao seu fandom. Normalmente elas beiram mais a paródia, brincando com os fãs e suas exigências bizarras, e mostrando na prática como nada que os fãs acreditam acontecerá na série

Os criadores de Avatar parodiando a tosqueira dos shippings que o fandom debatia.
Os criadores de Avatar parodiando a tosqueira dos shippings que o fandom debatia.

O que eu acho muito positivo. Os fãs não tem nada que se achar importantes, ou achar que os autores devem algo a eles, quem escreve a obra escreve o que tinha planejado e os fãs têm que aceitar isso. Sem serem arrogantes. Essa relação ainda é importante.

E as Powerpuff Girls parodiando a ideia de uma versão adolescente delas, tema muito comum nas fanfics do desenho.
E as Powerpuff Girls parodiando a ideia de uma versão adolescente delas, tema muito comum nas fanfics do desenho.

Porém ao mesmo tempo, tendo essa hierarquia bem definida, acho legal quando os autores olham para a esses fãs e pensam. “Olha esses caras aí, vamos dar esse agrado para eles, que não vai afetar em nada a nossa história. O que nos custa?”

É tipo quando em Adventure Time, um desenho feito por uma criancinha, com o personagem inventado “me-mow”, agradou tanto ao criador, Pendleton Ward, que um episódio com o personagem foi feito em homenagem ao desenho.

Me-Mow

Ou em My Little Pony – Friendship is Magic, um desenho que criou um fenômeno na internet baseado primariamente no amor de seu fandom por personagens insignificantes de backgroud, celebrou seu centésimo episódio, com um episódio que focava somente nesses personagens que os próprios desenhistas nunca notariam se não fossem os fãs.

SliceofLife

No caso de South Park foi diferente, pois não foi homenagem a um fandom inteiro, e sim a uma parcela de um fandom. Uma parcela bem estranha, um subgrupo que combina bem pouco com um desenho da reputação de South Park. É possível notar que muitos sites que fazem a resenha semanal dos episódios de South Park, não tinham ideia de que esse público existia dentro da série. Talvez a surrealidade e estranheza de existirem fangirls yaois de South Park seja justamente o que faz os criadores que avacalham a tosqueira de toda e qualquer comunidade no planeta Terra, resolverem reconhecer e homenagear as garotas fazendo desenhos homoeróticos de seus personagens ficcionais em vez de avacalhá-las.

Sobre o autor

Izzombie

Sou um cara chato que não consegue ver um filme sossegado sem querer interpretar tudo e ficar encontrando simbolismos e mensagens. Gosto de questionar a suposta linha que separa arte de filmes comerciais, e no meu tempo livre pesquiso sobre a história da animação.

Por Izzombie

Sobre o autor

Izzombie

Sou um cara chato que não consegue ver um filme sossegado sem querer interpretar tudo e ficar encontrando simbolismos e mensagens. Gosto de questionar a suposta linha que separa arte de filmes comerciais, e no meu tempo livre pesquiso sobre a história da animação.

Alertas

  • – Todos os posts desse blog contém SPOILERS de seus respectivos assuntos, sem exceção. Leia com medo de perder toda a experiência.
  • – Todos os textos desse blog contém palavras de baixo calão, independente da obra analisada ser ou não ao público infantil. Mesmo ao analisar uma obra pra crianças a analise ainda é destinada para adultos e pode tocar e temas como sexo e violência.

Artigos recentes

Categorias

Parceiros

Blog Mil

Paideia Pop

Gizcast

Arquivo