One Piece – Whole Cake Island e Totto Land: Uma terra de ilusões.

Da última vez que falei de One Piece por aqui, estávamos no começo do arco de Whole Cake Island, que eu não sei porque nós fãs convencionamos esse nome, se o tempo que eles passam na ilha Whole Cake em si não é tão grande. Eles vão pra Cacao Island, vão pro mundo dos Espelhos, passam boa parte do climax no mar. Whole Cake é só uma ilha dentre várias, o arquipélago é Totto Land, eu vou falar Totto Land para descrever o ambiente muito mais do que vou falar Whole Cake ao longo do texto. Mas estou divergindo.

TottoLandMap
Entendo que Whole Cake era a ilha principal, mas sei lá, a gente se refere a Water Seven e Ennies Lobby como se fossem arcos separados, então é estranho.

O importante é que agora acabamos de encerrar esse arco, e por isso volto a falar de One Piece para falar sobre esse momento do mangá. One Piece é um mangá que tem arcos muito longos, foi quase dois anos acompanhando Whole Cake, e tiveram momentos em que vibrei, e momentos em que achei “nossa, isso está muito ruim”, porque acompanhar 19 páginas por semana permite que sua experiência de apreciação seja uma montanha russa, dependendo das suas expectativas, mas apesar de tudo, no geral eu gostei muito do arco.

CharlotteKatakuriEating
Em especial no que diz respeito ao personagem Charlotte Katakuri, um dos personagens mais legais que One Piece criou em muitos anos. Não estou acostumado.

E o que eu mais gostei no arco, como apesar de One Piece ter 20 anos e 900 capítulos, ele é em vários aspectos, bem diferente do que costuma acontecer no mangá. Desde Ennies Lobby não víamos Luffy liderando uma invasão, com uma ilha 100% dominada por um vilão, sem velhinhos e princesas dentro para ele fazer amizade com (apesar de a ilha ter inúmeros civis, até o final não fomos introduzidos a um único habitante de Totto Land que não fosse um pirata). Claro, Thriller Bark foi igual, mas o Luffy não invadiu Thriller Bark, ele foi induzido a descer na ilha. Tipo, não foram elementos inéditos, mas são coisas que não só não vemos todo arco, como não vimos no time-skip ainda.

BigMomPirates
A tripulação colossalmente grande da vilã me chamou a atenção também. O Doflamingo tinha um bando grande também, mas em determinado momento sabíamos que todo mundo já tinha sido derrotado, enquanto com a Big Mom, era a reta final e ainda tinha Charlotte novo aparecendo pra atrapalhar o Bando do Chapéu de Palha.

E diferente de Ennies Lobby, esse arco também marcou uma espécie de derrota do Luffy. Em que apesar dele ter cumprido o seu objetivo, ele falhou em derrotar o inimigo, assim como o preço pago foi alto demais, muito mais alto que a média que ele paga. Tudo bem, que tendo resgatado Sanji que era seu objetivo, foi uma vitória, mas com um inegável senso de inferioridade que não sentimos desde o encontro com os almirantes. Depois de uma série de várias e várias falsas-mortes, tivemos o que tem chance de ser uma morte real de um personagem (já que o arco acabou e ele não voltou ainda, embora eu não ponha a mão no fogo mais), e tivemos muitos aliados deixados para trás que se sacrificaram para Luffy sobreviver.

SunPirates
Em especial Jinbei, os Piratas do Sol e o Pekoms. Ok, eles estão provavelmente vivos, mas porra, nas garras do inimigo. É irônico uma missão de resgate sair com tanta gente deixada pra trás sem ninguém pra resgatar.

Mas pra mim o mais interessante e o real tema do texto é Totto Land, o arquipélago dominado por Big Mom, que é um país inteiro construído do zero pela vilã. A única outra ilha dominada por vilão que se compara a Totto Land na maneira como a ilha é um reflexo do personagem é Thriller Bark. Ennies Lobby também, de certa forma. E esse reflexo no caso, é o fato de que Totto Land não é nada além de uma ilusão.

Homies

O arco todo, tanto nos personagens quanto nas ilhas foi inspirado em contos de fada, de maneira muito clara. Com objetos e animais falantes, tudo ali sorridente e com vida, e a cor rosa, e música por todos os lados. É praticamente um filme Disney construído por um vilão, e todo mundo na ilha parece que está pronto pra cantar Be Our Guest a qualquer momento. E o anime inclusive pegou bem o espírito da coisa, transformando cenas que eram de diálogo normal no mangá e transformando em diálogos musicais no anime.

Mas não é só isso. Temos casas feitas de doces, igual Hansel & Gretel, temos um mundo mágico dentro do espelho. Temos um coelho branco acompanhando os protagonistas. Temos soldados vestidos como peças de xadrez. Aquilo é basicamente uma versão sinistra de Wonderland, o País das Maravilhas. E assim como Wonderland era só um sonho de Alice, Totto Land tampouco existe.

BookWorld

Tipo, obviamente o país existe e as coisas nele existem e esse arco foi real. Mas uma curiosidade que se nota, é quanto foco o arco colocou em elementos não só em Totto Land, mas na vida de Big Mom e sua tripulação serem falsos e meras ilusões, sem nunca colocar isso em primeiro plano. Se olharmos com cuidado, a maior parte dos elementos que simbolizam o império da Big Mom se revelam meras ilusões até o fim do arco, e vemos que ilusões, fantasias e mentiras escondem a realidade em diversos momentos-chave da estadia dos Piratas do Chapéu de Palha no arquipélago.

Um exemplo literal seria Charlotte Brulee, a primeira filha de Big Mom a efetivamente lutar contra os Piratas do Chapéu de Palha, que luta com eles usando literais ilusões: cópias dos Chapéu de Palha que na verdade eram animais que sob o efeito da Mira Mira no Mi pareciam seus reflexos.

MirrorLuffy

Já um exemplo simbólico é o fato de que Totto Land foi criado para ser um paraíso em que pessoas de diversas raças são reunidas e são tratadas com igualdade. E eles falam do lugar nesses termos quando Luffy chega no arquipélago. Porém uma vez lá, descobrimos que é um lugar extremamente intolerante, em que diferenças físicas como um olho extra ou uma boca arregaçada são motivos de bullying e violência pesados que traumatizam pessoas pelo resto da vida. Mesmo sendo o filho da soberana do lugar, Katakuri teve a irmã esfaqueada por conta de suas particularidades físicas. Obviamente não é um lugar onde as pessoas são aceitas por serem quem são.

PuddingChildhood

E isso é One Piece. Um mundo onde gente com character design bizarro aparece o tempo todo. Mas o tempo todo mesmo. Ao ponto em que por um momento acreditamos que um dos personagens tinha três cabeças e isso era normalzão. Então o nível de rejeição que as pessoas diferentes sofrem em Totto Land chama particularmente a atenção.

Baskerville
Lembrando que é um mundo em que isso é uma aparência normal. Então a intolerância com Pudding e Katakuri chama ainda mais a atenção do que chamaria em um mangá mais realista.

Os efeitos disso, é que mesmo ocupando posições de liderança política em Totto Land, muitos filhos da Big Mom escondem sua verdadeira aparência e personalidade com disfarces e poses estilosas, sem ser livres para serem quem são. No caso os exemplos mais óbvios são Charlotte Katakuri, filho mais poderoso da Big Mom e um de seus generais. E Charlotte Pudding, braço-direito da Big Mom em momentos estratégicos. Ambos entre os filhos favoritos da matriarca.

CharlottePuddingTwoFaces
A pessoa que Pudding é por dentro, e a persona pública que ela exibe são pessoas extremamente diferentes. E assim, apesar do teatro todo que ela fez pro Sanji, a verdade é que os habitantes de Cacao Island e mesmo alguns irmãos dela não conhecem a verdadeira Pudding, é algo que ela levou pra vida mesmo.

Outro general de Big Mom: Charlotte Cracker, passa tanto, mas tanto tempo sob o disfarce de uma armadura de biscoito que ele construiu, que seus inimigos no governo sequer sabem que o rosto da armadura não é seu rosto de verdade, e ele se gaba disso.

CrackerArmadura
Cracker em sua armadura.
CrackerReal
Aparência real de Cracker.
CrackerWanted
Cartaz de procurado de Cracker.

Cracker, Pudding e Katakuri não tem a aparência que demonstram. E Puddding e Katakuri não tem a personalidade que demonstram. Mas não para por aí. Os habitantes de Totto Land, pagam pela sua estadia na ilha com sua própria alma, e supostamente em troca eles recebem a proteção de ter a Big Mom impedindo que o país seja ameaçado. Essa segurança também é mentira, uma vez que a maior ameaça ao país é a Big Mom em pessoa, e ela pode a qualquer momento virar uma ameaça a vida de todos, por motivos como: fome.

BigMomMoscato
Big Mom assassina o próprio filho sem perceber, em um de seus chiliques causados por fome.
BigMomAttack
Big Mom atacando uma das cidades que governa em um chilique causado por fome.

No começo do arco, ela literalmente assassina o próprio filho por não distinguir ninguém quando tem fome. Ela não é capaz de proteger ninguém de si mesma, e apesar dos habitantes de Totto Land terem dado a alma deles para morarem em um lugar seguro, eles não moram em um lugar seguro.

SoulIncarnation
Uma habitante de Totto Land entregando parte de sua alma.

Além do discurso de igualdade entre todas as raças, esconder o segredo e a vergonha de Big Mom. Que ela nunca conseguiu fazer amizade com a comunidade dos gigantes. Tendo atacado o reino deles quando criança em um de seus surtos. E tendo falhado em fazer uma aliança com eles quando adultos, pois sua filha recusou um casamento com o príncipe dos gigantes. Big Mom pagou para um cientista para gigantificar crianças, na tentativa de criar seus próprios gigantes, uma vez que eles eram a única raça em que ninguém quis fazer parte de sua utopia multi-racial, e ela desejou compensar isso com gigantes falsos uma ilusão.

PunkHazardKids
Culminando nas crianças cobaias de Punk Hazard.

E um nível extra na mentira vem a tona, com o fato de que o cientista, Caesar Clown, não estava mais fazendo progressos com a pesquisa, e usando o dinheiro que Big Mom investia nele com seu próprio hedonismo, gastando com álcool e mulheres. Ou seja, ela acreditava que um projeto estava sendo, e ele não estava.

Big Mom também passa uma imagem de si mesma, de que respeita o desejo de todos, desde que paguem um preço sádico. Simbolizado por uma roleta, onde qualquer um de seus aliados pode se desconectar de seu bando, desde que girem a roleta e paguem o preço que compense o prejuízo para o bando. Com itens na roleta que indicam a amputação de membros. Então obviamente não é justo, mas passa a impressão de que perder um braço é o preço pra se abandonar a autoridade da pirata. E que se existe um preço, significa que é possível abandoná-la. Mas isso é uma mentira também: a roleta é armada para sempre sortear “morte”. Então o preço é sempre a morte. Não é possível sair do bando de Big Mom.

RouletteWheel

E na própria trama, ela convida os membros da Germa 66, uma nação cientificamente e militarmente avançada a fazer uma aliança com ela, casando o príncipe deles com sua filha favorita. E assim eles dividiriam sua superioridade militar com ela. Era também uma ilusão criada por ela, ela pretendia matar todos os membros da Germa no casamento e ficar com tudo, sem aliança.

Todos que chegam em Totto Land são submetidos às ilusões de Big Mom, a uma noção de que o lugar funciona de uma maneira que não é como as coisas acontecem de verdade. E a própria Big Mom é vítima disso, acreditando ela mesma nas mentiras e ilusões de Totto Land.

Carmel
A começar pela sua conexão emocional com a foto de Carmel. A traficante de crianças que tentou vender Big Mom no passado, mas foi canibalizada pela mesma antes. Big Mom não sabe de nenhum dos dois fatos, e vê em Carmel uma figura materna.

Big Mom foi adotada e corrompida na infância por um homem chamado Streusen, um pirata falido que viu nela a oportunidade de recomeçar a vida, e também um homem com a habilidade de transformar qualquer objeto em uma comida que parece linda, mas tem um sabor horrível. E ele foi um dos responsáveis por não fazer Big Mom perceber o maior trauma de sua vida que havia ocorrido diante de seus olhos: que ela havia canibalizado sua mãe e irmãos adotivos sem perceber de tão empolgada que comia a comida em sua volta. Streusen não deixou Big Mom perceber a verdade, e formando o conceito de transformar Totto Land numa nação igualitária com todas as raças, e formando o bando pirata de Big Mom.

Streusen
Streusen.
Kuku
O poder da Kuku Kuku no Mi.

Hoje uma adulta, Big Mom mantém a força de seu bando fazendo alianças por casamentos de seus filhos e filhas com outros grupos que pelo casamento se subordinariam à Big Mom. E isso garante que o número de aliados dela seja incontável, afinal, digna de seu apelido, o número de filhos que ela tem é incontável. Mas isso é outra mentira em que Big Mom acredita. Nós só testemunhamos três noivados ao longo da série toda, mas em TODOS os três, Aladdin, Capone e Sanji nós vemos claramente não só o noivo trair Big Mom, como em todos os casos, eles traíram Big Mom com completa cumplicidade de suas noivas Praline, Chiffon e Pudding.

PralineAladine
Em todo casamento que vimos no mangá com um membro da família Charlotte, o que vimos acontecer na verdade, foi a Big Mom dar a um inimigo, um aliado importante com informações sobre a família.

Então os casamentos não aumentam o número de aliados de Big Mom, mas ajudam ela a alienar ainda mais seus filhos. Não por coincidência, os filhos que ficaram do lado de Big Mom até o final, em nenhum momento na série deram o menor indício de serem casados. Katakuri, Oven, Brulee, Perospero, Smoothie, Cracker, Mont d’Or, todos passaram a impressão de serem solteiros, mesmo que a grande estratégia da Big Mom seja casar o maior número possível de filhos. Existe uma divisão clara entre os filhos casados, que traíram a própria mãe, e dos solteiros que lutaram por ela. E embora o casamento entre Pudding e Sanji tenha sido cancelado durante a cerimônia, nota-se que a festa de casamento foi o momento definitivo para a personagem passar de um lado para o outro.

PuddingChiffon
Pudding e Chiffon, duas filhas casadas, ajudando Sanji e traindo Big Mom.

Aliás, Chiffon, a esposa de Capone e uma das filhas que traíram Big Mom ao se casar, teve como motivação para sua traição, a constante violência física que sofria de sua mãe. Ela apanhava de Big Mom, pois era irmã gêmea idêntica de Lola, a filha que abandonou o bando e fugiu, e Big Mom, presa em um mundo onde ela não distingue realidade de fantasia, tem surtos de violência contra Chiffon, pois é incapaz de distingui-la de sua irmã.

ChiffonChildhood

Então que fique muito estabelecido isso. Totto Land e o Império da Big Mom são uma grande rede de farsas. Apesar dela ter força e exército para manter seu império, a verdade é que as bases morais e ideológicas sobre as quais seu território se sustenta não existem de verdade. Os responsáveis pela sua estabilidade vivem suas vidas como personagens que não refletem quem eles são de verdade. O que acontece sob seu território não é o que é dito. E ela própria não está acima disso, pois ela acredita nas mentiras a respeito do próprio império. O império da Big Mom não é diferente da comida que Streusen produz com seu poder. Esteticamente impressionante, mas desprovido de qualquer sabor ou legitimidade. Uma ilusão. Um castelo de cartas que pode desabar com a presença de alguém que traga a tona a farsa que é o país inteiro.

WholeCakeChateau
Algo tão sólido quanto um castelo feito de bolo, e tão passível de desabar de uma hora para outra quanto.

E é aqui que entram nossos heróis. Os piratas do Chapéu de Palha. Mais especificamente seu capitão: Monkey D. Luffy.

MonkeyDLuffy
Esse cara.

Luffy é o protagonista da série e um personagem de uma personalidade bem forte. O que mais chama a atenção em relação a personalidade dele é que ele é burro pra cacete, tal como o bom herói de battle shonen que ele é. Mas nessa caracterização de ser burro, existe uma elaboração maior: que é a de ser simples. Luffy é um personagem que no mangá raramente é escrito com balões de pensamento, porque ele raramente pensa antes de falar, ele vai e fala o que ele acha. Por essa exata razão, Luffy é um cara muito genuíno em suas ações, ele raramente mente, ou engana os outros, salvo uma ou outra piada isolada dele roubando comida e dizendo que não roubou. Da mesma forma, ele é o personagem mais pato do mundo no que diz respeito a acreditar nas mentiras do outros, um sujeito que vive uma realidade tão distante do conceito de mentira, que acredita em qualquer coisa que o digam, e sempre presume que a palavra do próximo vale muito.

Alliance
“Luffy, alianças piratas costumam ser marcadas por traições.” “Você vai me trair?” “Não.”, e isso foi o suficiente para Luffy acreditar que a aliança dele com Law era sólida e segura.

Ironicamente, os dois grandes momentos em que vimos Luffy deixar de lado essa postura de ser crédulo, e reconhecer pessoas disfarçadas, por exemplo (que é algo que normalmente sempre engana o Luffy), foram dois momentos nesse arco. Totto Land foi o primeiro local, onde o Luffy começou a questionar um pouco a veracidade do que apresentavam a ele.

GangsterGastino

Pekoms
Apesar de Luffy não ter reconhecido Usopp como Sogeking, nem Foxy em seus disfarces bizarros, ele é capaz de reconhecer que Gangster Gastino é o Caesar Clown, e que Nezoms é o Pekoms sem muito esforço.

Mas o importante em Luffy, é que ele é uma pessoa muito direta, ele faz o que quer, e diz o que quer. Suas palavras e suas ações são sempre um reflexo do que ele é, e do que ele deseja, e nunca são maquiados. A única possibilidade do Luffy se maquiar com qualquer farsa, é se instruído por algum aliado de que esse é o caminho a se seguir, mas nunca espontaneamente. E essa espontaneidade do Luffy é o que chama a atenção positivamente em seus aliados, fazendo diversas pessoas improváveis simpatizarem com o rapaz.

Lucy
Luffy queria se inscrever no torneio do Coliseu sob o nome verdadeiro, e foram seus companheiros que o convenceram a usar o nome falso “Lucy”, que ficou parecido com “Luffy”, pois quando Luffy decidiu se disfarçar já tinha dado metade do seu nome real.

No outro lado do espectro, temos Sanji, em vários momentos do mangá vai numa direção oposta ao Luffy. Sanji é bom em esconder seus sentimentos. Ele foi um dos três membros do bando que não chorou durante o enterro viking do Going Merry. Ele foi criado em um universo muito masculino, em que demonstrar seus sentimentos era demonstrar fraqueza, e que você demonstrava carinho pelos demais xingando-os. E ele tinha um senso de sacrifício, em que se recusava a fazer o que queria (ir ao mar buscar o All Blue), para fazer o que ele sentia que era seu dever (pagar uma dívida de honra com seu pai adotivo). Luffy quebrou isso, Luffy conseguiu fazer o Sanji real florescer debaixo de uma máscara de masculinidade e sentimentos fechados, e o convenceu a admitir pra si mesmo o que queria, e a se tornar um pirata.

ZeffSanji
Ao se despedir de seu lar para virar um pirata, Sanji e Zeff, pela primeira vez se referiram um ao outro em termos respeitosos e demonstraram genuíno afeto um pelo outro, não tendo mais que jogar esse jogo de “homem não demonstra sentimentos.”

Uma vez no bando, Sanji de destacou por sua rivalidade com Zoro, por sua taradisse com Nami, Vivi e Robin, mas também pelo seu jeito misterioso. Sanji era um dos membros do bando que menos revela qualquer informação sobre si mesmo. Além de Sanji, os únicos que têm mais segredos a repeito de sua origem, são o Zoro, que é quarenta vezes mais fechado que o Sanji, e Brooke, um esqueleto revivido, que aparentemente é mais definido por sua relação com a morte, do que pelas suas experiências em vida. Sanji, passou muito tempo na tripulação sem sequer mencionar o mar onde cresceu, e é um dos poucos que não tinha sobrenome revelado, junto de Nami e Usopp, que cresceram em vilas pequenas, isoladas onde todo mundo conhece todo mundo, ou seja, lugares onde as pessoas não costumam precisar de um tornando improvável que venhamos a descobrir seus verdadeiros sobrenomes em um plot-twist futuro. Brooke também não tem um sobrenome, mas nesse quesito, Brooke é disparado o mais misterioso do bando.

BegeSanji
Diferente do Sanji em que a revelação do mar em que nasceu, do sobrenome e dos laços familiares foram plot-twists grandes pro andamento da trama e pra como vemos o personagem.

Além de ser misterioso, mas-não-tão-misterioso-quanto-Zoro-e-Brooke, Sanji sumia no meio do arco para operar pelas sombras, com o pessoal da tripulação não sabendo aonde ele estava, para ele então voltar revelando que mexeu vários pauzinhos offscreen. A vez mais icônica em que isso aconteceu, foi quando ele criou a alcunha de Mr. Prince, tirando vantagem do fato de que Crocodile não conhecia sua identidade, para operar escondido dele e sabotar seus planos. Em Skypiea e Ennies Lobby ele igualmente sabotou os planos do inimigo agindo pelas sombras, o que faz os fãs compararem o Sanji a um espião, e gerando até expectativas de que ele nunca tivesse seu rosto estampado em um cartaz de recompensa para facilitar seu trabalho como agente misterioso.

MrPrince
Mr. Prince. Um dos grandes destaques do arco de Alabasta.

Sanji é um personagem respeitoso com qualquer personagem que não queira falar do próprio passado, pois ele próprio não fala do próprio nunca. E um personagem que esconde seus sentimentos verdadeiros, se isso for necessário para proteger as pessoas que ele quer proteger. Que vai falar que está tudo bem, quando não está, mas principalmente, Sanji é um homem que acredita notoriamente no sacrifício. Não é incomum ver Sanji se jogar em direção a grandes ataques pra proteger alguém. Em Drum ele concentrou a maior quantidade de danos dos Lapans em si mesmo pra proteger Luffy e Nami. Em Skypiea ele se arremessou em direção a um golpe certeiro de Enel pra proteger Nami e Usopp, e em Thriller Bark quando Zoro realizou o maior sacrifício que um membro do bando já fez pelo Luffy, Sanji literalmente tentou competir com o Zoro para ser o sacrificado. Culminando em um arco onde ele literalmente vendeu a própria liberdade pelo bem de seus entes queridos.

SanjiSkypiea
Suas palavras de “Eu só queria acender o cigarro”, reforçam o jeito do Sanji de tentar fazer parecer que não é grande coisa pra ele quando  é.

O que vai na contramão de Luffy, que odeia a ideia de gente que se sacrifica pra pagar dívidas, e fala isso na cara do Sanji na primeira vez que lutaram lado a lado e ele viu Sanji tentando morrer pelo seu pai adotivo.

LuffySanji
“Você não paga dívida nenhuma morrendo. Não é pra você morrer, que te salvaram. Se sacrificar depois de ser salvo é coisa de gente fraca!” Luffy obrigou Sanji parar de ser uma pessoa que não era por gratidão e de tentar se sacrificar, e em vez disso, viver feliz, que é o que seu pai adotivo queria vê-lo fazendo desde o começo. 

E é por isso que Totto Land é o arco em que Luffy e Sanji enfim vão ocupar posições em que um momentaneamente vê o outro como alguém em seu caminho. Porque o Sanji vai fazer sua parte mantendo as ilusões de Totto Land funcionando, enquanto a natureza do Luffy, não permite que essas merdas passem batido.

SanjivsLuffy

O arco começa, como todos lembramos, quando Sanji descobre que é noivo de Charlotte Pudding, e vai pra Totto Land casar. Ele sendo o Sanji que é, escreve um bilhete pra Luffy dizendo que vai voltar, mesmo sem ter a menor ideia de se vai ou não voltar, e sorri pros companheiros dizendo que está tudo sob controle, para protegê-los. Porém assim que chega e se reúne com sua família, ele vê que não tem opção a não ser jogar o jogo da Big Mom em silêncio, pelo bem de seus entes queridos.

SanjiMask
Após se reunir com sua família, não demora para eles entrarem em conflito e Sanji ser espancado. Então a irmã do Sanji dá a ele uma literal máscara para fingir que está tudo bem, fazendo-o parecer que seu rosto não tem ferimentos.

Por isso quando Luffy chega para resgatar Sanji, ele veste a máscara do príncipe dos Vinsmokes, e luta com Luffy e rejeita seu resgate, mentindo sobre estar em uma posição muito preferível como marido de Pudding do que como cozinheiro de Luffy, e criando uma série de mentiras para ver se Luffy vai embora, mas ele se recusa.

SanjiChora
As palavras de Luffy forçam Sanji a chorar, algo que não é tão fácil de se fazer.

Apesar de ser a vítima na situação, Sanji se martiriza, por priorizar sempre o outro. Ele prioriza a Pudding, sua noiva, pois acredita que ela está assustada com o casamento e pode fazê-la feliz. Ele prioriza seus companheiros, que vão ser perseguidos se ele for resgatado, e se sacrifica por todo mundo, colocando a própria felicidade em último lugar e sendo uma pessoa que ele não é. Mesmo quando ele descobriu que Pudding era uma mentirosa, psicopata e que ela pretendia matá-lo e a sua família durante o casamento, ele seguiu sem reagir, pois ele achou que morrendo ele pouparia seus entes queridos.

Mas como já estabelecemos, Luffy não tem respeito nenhum por essa ideia de sacrifício que o Sanji carrega, e ele obriga Sanji a admitir pra si mesmo o que ele quer. Quando Sanji admite que ele não quer nada daquilo, quer só ser o cozinheiro do Sunny, que ele para de fazer parte das ilusões de Totto Land e passa a lutar no time das pessoas que querem derrubar essas ilusões.

SanjiLuffy
Sanji enfim admite que quer voltar a ser o cozinheiro do bando de Luffy, e eles passam a se ajudar pelo resto do arco.

E é aí que vem a parte boa. Luffy decide participar de um plano pra matar Big Mom, para assim poder salvar os parentes psicopatas do Sanji, pois o Sanji quer proteger sua família arrombada. Então eles fazem uma emboscada no casamento de Sanji e Pudding. E nessa emboscada, uma coisa acontece: quando Sanji vê a verdadeira face de Pudding, uma tríclope psicótica escrota e maligna até os ossos, ele demonstra a própria verdadeira face, e elogia seu olho, e receber o elogio sincero de Sanji sob uma marca física sua que foi motivo para ela sofrer tanta violência no passado, afetou Pudding profundamente. E isso soou consistente com o mangá, porque é quem o Sanji é.

PuddingEye

Sanji é um dos membros mais gentis do Bando do Chapéu de Palha, e por trás de sua personalidade fechada que não deixa transparecer o quanto ele se importa, está um homem que se importa muito e não admite. Sanji é um coração puro sempre disposto a fazer o bem, e constantemente no mangá, ele transforma inimigos em aliados, porque eles ficam impressionados com a gentileza do Sanji. Gin no Baratie traiu seu bando, pois Sanji o alimentou de graça quando ele tinha fome e não podia pagar por comida. Duval, que queria assassinar Sanji se tornou seu aliado, quando Sanji faz uma “cirurgia plástica” em Duval para que ele pare de ser perseguido. Kin’emon e Momonosuke estavam indispostos a confiar no bando de Luffy até Sanji alimentá-los, e por último Viola enfim encontrou forças para se voltar contra DoFlamingo, depois de ver que Sanji genuinamente acreditava que ela era uma boa pessoa, apesar de todos os indícios de que não. Esse é o Sanji, um cara que se você for homem não vai te olhar no olho, e falar que não queria mesmo te dar comida, e te chamar de cuzão, mas ele se importa mesmo assim. E ele afetou Pudding, transformou uma noiva de mentira em uma mulher apaixonada de verdade.

PuddingSanji
Sanji revelando para Pudding que não acredita que ela esteja agindo conforme os próprios sentimentos.

E a consequência disso, foi Pudding ter virado uma aliada para deter Big Mom.

Da mesma forma que Luffy libertou Sanji de uma vida de mentiras, e Sanji libertou Pudding. Luffy também libertou Katakuri, durante a luta dos dois. Durante o embate, Katakuri perdeu a vergonha de ser quem ele é, e parou de esconder sua boca deformada e de vender uma imagem de perfeição.

KatakuriFace

KatakuriDefeat
O ato tanto de lutar sem cobrir sua boca, quanto de cair de costas em sua derrota, marcam como o contato com Luffy fizeram Katakuri deixar de priorizar sua imagem e se libertou da pressão de ser “perfeito”.

E o bom, de Pudding e Katakuri, dois dos mais importantes filhos da Big Mom terem com o convívio com Sanji e Luffy mudado sua perspectiva sobre a falsa identidade que eles vivem, e a mentira que é a vida que eles levam em Totto Land, o fantástico a respeito disso, é que não foi de propósito. Sanji e Luffy fizeram isso só com suas personalidades, sem realmente tentar quebrar a rede de ilusões da Big Mom. O que é diferente do que Luffy fez com Sanji.

PuddingChora

E o resultado, foi que apesar da Big Mom ter capturado os aliados de Luffy, e dele ter sido incapaz de vencê-la. Mesmo assim, seu império caiu como se fosse um bolo de casamento com a base frágil.

WholeCakeFall

Eu pessoalmente não sei se é por esse caminho que o mangá caminhará. Mas o arco deixou claro para todos seus personagens a verdadeira face de Totto Land. Os habitantes viram com os próprios olhos, que Big Mom era uma ameaça a vida deles maior que o Bando do Chapéu de Palha. Vários filhos de Big Mom viram a verdadeira face dela, Pudding entendeu que apesar de ser a filha favorita, sua mãe nunca a respeitou. Opera foi assassinado pela mãe sem ela nem perceber o que estava fazendo. Zeus, a nuvem falante que era a mão-esquerda de Big Mom foi seduzido pelo Bando do Chapéu de Palha e abandonou ela no meio da luta. Dois bandos bem relevantes saíram do armário e a traíram. E o pior, o maior nome do jornalismo no planeta estava lá pra ver tudo. Então são sei, no nível simbólico, se ela é capaz de demonstrar o mesmo poder que possuia antes, ou se agora que as traições vão começar mesmo e o Império vai implodir. Não sei, não sei que caminho One Piece vai seguir com ela, mas é possível.

Morgans
Apesar de o Luffy nunca fazer nada sem no dia seguinte ele ser primeira páginas dos jornais desde que bateu no Crocodile, esse arco fez questão de nos informar que o maior jornalista do mundo estava testemunhando os eventos, então não havia a mínima chance da verdade não vazar. Mesmo que o fã já esteja acostumado à verdade sempre vazar, a natureza do ambiente, fazia esse reforço ser necessário.

O que eu quero que seja notado é: que mesmo tendo a oportunidade de fazer uma armadilha, Sanji fez um bolo de verdade para sua inimiga, pois foi o que ele prometeu fazer, e ele não mentiu. Apesar do bolo ser de verdade, mesmo diante das maiores evidências disso (a maior de todas, ser a Big Mom ter comido e não acontecido nada com ela), até o final, os habitantes não conseguiram acreditar que não era uma armadilha, que a aparência do bolo e seu conteúdo eram compatíveis, de tanto que o conceito de aparência falsa é parte do cotidiano de todos eles.

Cake

Da mesma forma, na perspectiva de nós, os leitores, esse arco nos marca a primeira vez fora de um flashback, em que um personagem sacrifica a própria vida e não ressuscita no fim do arco (Ace não conta, não me venham falar do Ace nos comentários, que aquilo ali era visivelmente uma exceção), brincando com nossa expectativa de achar que a morte do Pedro era só mais uma ilusão de Totto Land, pois tinha que ser. Pois esse tipo de coisa não acontece em One Piece.

Pedro

Mas não, não era o caso. O bolo era real, a morte de um aliado foi real. Pedro não estava na ilha para alimentar as ilusões.

6 thoughts on “One Piece – Whole Cake Island e Totto Land: Uma terra de ilusões.

  1. Ótimo texto, acredito que as consequências desse arco vai ser um racha no bando, onde um grupo vão seguir Katakuri e Pudding pra sair do bando da Big Mom.
    E deixo aqui uma ideia para futuros texto pra você: Promethea de Alan Moore seguido, depois de terminar, Darling in the Franxx, pelos dois terem uma inesperada intercessão.
    Ps:Dê uma revisada na escrita, só uns errinhos ortográficos e repetições de termos pra deixar o texto fluído.

    Liked by 1 person

  2. Acho que lendo esse texto, eu comecei a gostar mais desse arco… Realmente o Oda conseguiu entregar um material bem original e ousado, vendo esses aspectos.
    E, obrigado, Izzo. Me fez amar o Sanji novamente depois do que disse sobre a evolução dele.

    (Espero que mais personagens como o Katakuri apareçam, e, se possível, enfrentem outros mugiwaras que mereciam um desenvolvimento desses.)

    E uma pergunta: Acha que o Oda pode superar A saga da CP9 ou Marineford? Gostaria muito de acompanhar uma saga como essas…

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s