As princesas e as princesas de Adventure Time:

Princesas. O ano é 2016 e o mundo ainda ama princesas. Em 2011 o mundo parou para ver o último casamento real que teve na Inglaterra, e no próximo, o mundo vai parar de novo. Pois as pessoas gostam de realeza, faz parte de um grande imaginário coletivo que nós temos que idealiza ser parte da realeza, romantiza as princesas e nos apresentam essas pessoas como se elas fossem realmente importantes.

RoyalWedding
Eu me identifico muito com a menininha no canto da foto.

E a ficção e a indústria do entretenimento tiram vantagem disso. Pegue uma história de fantasia que não tenha uma princesa. É difícil. É uma palavra que já está fixa como algo que soa muito bem. A Princesa Leia é filha adotiva de um senador, e mesmo assim pega a alcunha de princesa, mesmo sem o conceito de família real valer nada em Star Wars. A Disney construiu seu império se sustentando em nos vender a imagem de princesas como o sonho de toda menininha.

A Disney e todo mundo que seguiu os passos da Disney. As princesas na ficção, mais do que um dermarcador de história de fantasia ou de história de época ou de história com apelo para quem gosta de princesas (sério, elas estão em todo lugar), virou também um modelo para o público jovem feminino. Criou-se o modelo “meninas querem crescer e ser princesas.”. Esse pensamento se tornou forte, e depois de se tornar forte começou a ser questionado.

DisneyPrincessesBodyType
E um dos principais questionamentos foi o do quão não-realista é a imagem corporal que elas vendem para seu público.

Porém, mesmo após questionamentos serem levantados e críticas feitas, nenhum produtor quer parar de comercializar princesas como modelos para crianças. É muito lucrativo para isso, então desde o fim dos anos 1990, mas principalmente na virada do milênio, existe uma tentativa da parte de produtores da industria do entretenimento de dar às princesas características que façam elas serem vistas com bons olhos às pessoas que não gostam dos padrões de beleza e comportamento que elas impõe para jovens garotas.

EscolaDePrincesas
Afinal esses padrões terminam em coisas como isso. O que é assustador, pois existe de verdade.

Claro que boa parte dessas tentativas são migués. E o que quem crítica o excesso de princesas na ficção atual quer mesmo, é que as meninas tenham outro tipo de modelo. Não quer que cada princesa seja mais moderna da mesma maneira que cada Windows trava menos. 

RoleModel
Uma alternativa por exemplo seria dar as meninas heroínas de verdade. Como nesse projeto fotográfico tentando resgatar a imagens de mulheres reais como modelos.

Então a Disney que se estabeleceu com as extremamente submissas Branca de Neve, Cinderella e Aurora, resolveu fazer princesas que sejam independentes e tenham opiniões fortes como Belle e Jasmine nos anos 1990, para pegar menos mal. Porém Jasmine não era realmente independente, e muito menos Belle.

Jasmine
As três primeiras eram figuras completamente passivas que eram alvo da vilania de mulheres invejosas de sua perfeição. Jasmine por outro lado não gosta de saber que tem um casamento arranjado e sonha em ser libertada dessa situação, mas ainda é passiva.

Aí virou o século e veio a terceira geração de princesas. Que novamente são mais independentes que as da segunda geração. Mas ainda são princesas. Ainda vendem conceitos como “arrumar um príncipe e viver feliz para sempre.” ou se encaixar em um padrão de beleza. A Mérida aparentemente sequer se encaixou o suficiente, já que ela foi “embelezada” para aparecer nos produtos da Disney, porém puxaram uma campanha contra o segundo visual e no final a Disney foi pressionada a vender a Mérida que apareceu nos filmes.

Merida
À esquerda a Mérida dos filmes, à direita a que foi proposta para mochilas e estojos.

E isso porque ela ainda não é uma “primeira princesa gorda.” O que não tem nenhum plano existir no futuro próximo inclusive.

A Tiana foi a primeira princesa negra. Mas o filme é justamente sobre como ela era a antítese de tudo que uma princesa era, e ao longo do filme foi deixando de ser essa antítese para valorizar coisas como “fazer desejos para estrelas” e “achar um verdadeiro amor para ser feliz para sempre.” e se adequar aos moldes da princesa Disney para virar um meio termo entre a princesa clássica e uma real subversão.

TianaProporcoes
E não é como se a Tiana tivesse proporções realistas. Aqui o link para ver as outras princesas Disney cuja linha dos olhos é maior que a barriga.

O que esse joguinho que a Disney está fazendo, e vai continuar fazendo por muito tempo é um migué para fazer as princesas carregarem menos estigmas negativos, para que quando uma menininha de seis anos diga “eu quero ser uma princesa”, isso não seja um comentário digno de desconstrução. Esse é o objetivo da Disney, e ela está falhando nesse objetivo.

A Disney não foi a única, existem outros que tentam fazer a mesma coisa exata. Vamos falar um pouco sobre My Little Pony – Friendship is Magic.

PrincesasPoneis

Sim. Aquele My Little Pony que assombra a internet. Quando eu comecei esse blog, eu prometi para um amigo meu que evitaria ao máximo falar de My Little Pony aqui. E com umas raras exceções, cumpri a promessa. Mas esse texto é sobre capitalizar fantasias e expectativas de um público-alvo feminino infantil, então acho apropriado falar desse desenho.

Enfim. My Little Pony é um grande cabo de guerra. Quando Lauren Faust começou a série, ela queria retomar de volta todos os elementos que consideramos ser de “menininha” e em vez de removê-los do show, fazer com que eles fossem bons, bons o suficiente para alguém que não é uma menininha gostasse do show. E isso não se referiria só aos pôneis, se referiria aos pôneis, às lições de amizade, ao cor de rosa, às borboletas etc… Trabalhos que tentam fazer obras com temática muito feminina serem vistas como boas, tentam fazer isso desassociando a série de todos os esteriótipos que atribuímos ao seu público. E Lauren Faust fez o oposto, ela vestiu a carapuça e tentou mostrar que desenhos de menininha costumam ser ruins, não por terem muita fofura e muito rosa, mas por serem mal escritos.

LaurenFaust
“A crença de que garotos não deviam se interessar por coisas femininas é a razão principal pela qual raramente fazem algo decente para meninas na animação, ou em qualquer mídia, alias. É uma atitude datada, sexista e um passo para trás.”

E deu no que deu. Em nerds de 40 anos no porão da casa da mãe colecionando bonecos da Rainbow Dash. Mas também deu em muita coisa positiva. Influenciou outros desenhos a fazerem o mesmo, e criou um espaço no mercado para obras criadas por mulheres e com temáticas femininas surgirem mais na televisão.

CrystalGems
E eu incluo Steven Universe nessa lista de obras que surgiram da demanda que My Little Pony criou.

Enfim. My Little Pony – Friendship is Magic, se passa no mágico reino de Equestria, que é governado pela Princesa Celestia e pela Princesa Luna. E é aí que entra o cabo de guerra. Lauren Faust queria que o reino fosse governado pela Rainha Celestia e sua irmã mais nova, a Princesa Luna, que se tornaria uma vilã, mas depois se redimiria. Porém a Hasbro exigiu que fosse Princesa Celestia, pois o nome rainha é associado com vilãs e o nome princesa é associado com heroínas.

QueenCelestia
O conceito original de Celestia.

Sim, pois é sempre a rainha má que ataca a princesa boa. E assim, eles foram pressionados a colocar uma princesa no papel de maior destaque, ao invés de dá-lo somente a uma governante menor (e ex-antagonista).

E não importa o quanto a série queira brigar com esteriótipos de gênero se a Hasbro dá a palavra final, e no fim das contas a Hasbro quer vender uns brinquedos para crianças. E venda de brinquedos é algo que se apoia muito em esteriótipos de gênero para ser lucrativo.

MLPRoyalWedding
Casamentos reais, são realmente uma coisa muito imbecil.

Mas sério, se apoia muito mesmo.

E mesmo depois que Lauren Faust saiu do show, os produtores que ficaram para tocar a série sem ela estão em constante braço de ferro do quanto a Hasbro cede e do quanto a Hasbro não cede. Mas a verdade é que quando eles viram que My Little Pony – Friendship is Magic, tinha público que não era formado por menininhas, eles resolveram adaptar o desenho para algo que reforce tudo de negativo que a Lauren Faust quebrou e fizeram Equestria Girls, para ser uma linha de brinquedos que compita com Monster High.

EquestriaGirls
O oposto do que Lauren Faust idealizou.

O importante é. Eles foram obrigados a ter a líder sendo uma princesa. E com isso resolveram mudar o conceito de princesas. Em Equestria princesa é algo que não tem a ver com uma linhagem. Qualquer cidadã de Equestria pode se tornar uma princesa ao atingir algo notável. É uma promoção que vem do esforço individual das personagens, e que a própria protagonista consegue atingir. O que significa que as princesas não são princesas por parentesco, e sim por conquista, e que quando os habitantes de equestria louvam as princesas eles não as louvam por seu sangue azul, ou por com quem elas casaram, eles as louvam pelo que elas fizeram, e pelo que elas representam.

VitralSpike

Vitral
Todos os eventos mais relevantes de toda Equestria são impressos em um vitral, e a promoção de Twilight em princesa foi um deles.

Pois as princesas têm responsabilidades pesadas. Celestia é responsável por fazer o sol nascer e se por, e governar todo o reino e todos seus habitantes. Luna por fazer a lua nascer e se por e garantir a paz no sono de todos os habitantes. E Twilight garante que os conceitos de amizade e harmonia se espalhem por Equestria resolvendo todos os conflitos do país inteiro com sua sabedoria. Uma grande responsabilidade, que garante a ela o direto de ser respeitada, pois ser princesa é um reflexo do que ela fez e ainda faz.

PrincesadaAmizade
A princesa da amizade e suas amizades administrando Equestria.

Mas ainda assim… tem a Hasbro no meio, garantindo que a Celestia seja branca no desenho, mas fique rosa quando ganha o brinquedo. E vendendo bonecos com essa temática.

FyreFlye
A opiniao de Lauren Faust sobre a boneca rosa.

Então boas intenções, mas que caminham lado a lado com uma empresa de brinquedos que promove o oposto das boas intenções. Um constante cabo de guerra. A cada passo para frente, outro para trás.

Mas eu não fiz esse texto para falar nem da Disney, nem de My Little Pony. Eu vim falar de Adventure Time.

AdventureTime

Adventure Time tem um monte de princesas em seu elenco de personagens. Um monte mesmo, e o motivo disso é justamente para passar o ar de fantasia medieval. Pois, embora a gente saiba que Adventure Time se passa no futuro pós-apocaliptico, sua estrutura empresta muito de rpgs e fantasias medievais, em especial na primeira temporada.

Temos um herói, e seu parceiro mágico. Esse herói luta com espadas, e enfrenta monstros, ogros e feiticeiros malignos e resgata princesas. A simplicidade por trás desse conceito foi o ponto forte das primeiras temporadas de Adventure Time, antes da série começar a ficar mais… mais parecida com o que é hoje. É daí que vem o Adventure no nome da série.

FinnvsIceKing

Mesmo nos episódios recentes com todo o drama que entrou na série, todo o slice-of-life que entrou na série, toda a maturidade e a sexualidade não romantizada que apareceu na série, ainda tem bastante aventura, ação, mitologia e uma vibe de RPG bacana. Como pudemos ver em Stakes, o mini-arco da Marceline.

Enfim, Adventure Time criou um clima e um ambiente onde era muito natural esperarmos princesas. Mas o Pendelton Ward não é a Hasbro (nem o Cartoon Network), ele não quer reforçar imagens pré-estabelecidas. Ele quer desconstrução. Então se o herói com espadas é uma criança com problemas sérios em sua relação com a violência. E se os monstros e ogros são pessoas normais como nós. E se o feiticeiro maligno for uma figura trágica que enlouqueceu… então a desconstrução também se aplica às princesas.

IRememberYou
Por trás da vilania, a tragédia.

E no caso de Adventure Time, o que a série nos apresenta, é justamente aquilo que a Disney e a Hasbro mentem que fazem, mas não fazem de verdade. Nos apresentar uma figura de princesa completamente diferente do que a Disney clássica estabeleceu no imaginário das pessoas e que se tornou o sonho de toda garotinha.

Adventure Time não repete os mesmos migués, a série de fato tenta apresentar uma mudança real na imagem de princesa e faz isso em diversos níveis, vou começar listando o mais notável.

O título de princesa se desconecta do gênero feminino.

KingofOoSleeps

Vamos começar com o mais interessante. No mundo de Adventure Time, o título de princesa é carregado de uma imagem. Essa imagem pode ser tanto uma imagem de uma pessoa boa e capaz de fazer o bem, quanto a imagem de uma autoridade e de uma estadista, o importante é que por conta disso muitos querem ser princesas. Muitos, inclusive os homens, e eles não querem ser príncipes, eles querem ser princesas.

PajamaWar
Uma batalha para ver quem será a nova princesa.

A maneira como o título de princesa dribla o gênero feminino se apresentou pela primeira vez no episódio Princess Cookie, onde um biscoito chamado Baby Snaps, fica encantado com a Princesa Bubblegum, pois ela constantemente visitava o orfanato dele para brincar com as crianças. Um dia ela perguntou para Baby Snaps: o que é que ele quer ser quando crescer? E ele respondeu “Eu quero ser uma princesa. Para poder trazer felicidade para as crianças que nem você faz.”

InspirarCriancas
Baby Snaps vê Bubblegum inspirando as criancinhas.

Nesse momento Baby Snaps era uma criancinha inocente, que não tinha ideia de que homens não são chamados de princesa e sim de príncipe, e tampouco que uma pessoa não se torna uma princesa e sim, nasce-se uma. Ainda assim, Baby Snaps contou sua interpretação infantil da situação e Bubblegum riu dele. Ele se sentiu humilhado pela princesa ter rido de seu sonho, e decidiu que ia provar pra ela e se tornar princesa a todo custo.

Suicidio
Baby Snaps chega a se suicidar ao perceber que ele jamais poderá ser uma princesa.

Em outro arco de história, um golpista que se declara o King of Ooo (sendo Ooo a terra mágica onde os personagens vivem), e é inimigo da Bubblegum, resolve convocar eleições no Candy Kingdom para eleger qual dos dois merecia ser a princesa. O King of Ooo ganha as eleições e orgulhosamente se declara como a mais nova princesa. Ele não ligava se o título era feminino, à maior autoridade do Candy Kingdom será dado o título de princesa, e é o que ele queria ser.

NovaPrincesa
A mais nova princesa do Reino Doce.

Quando o King of Ooo é deposto, um personagem menor, Crunchy toma para si o título de princesa até Bubblegum assumir de volta seu trono.

Camisola
Diga para Bonnie que eu durmo com a camisola dela.

Pois ser princesa é o máximo, então todos querem ser princesas, independente do gênero. E não é como se fosse ficar estranho um cara de cavanhaque usando a coroa de princesa uma vez que…

Princesas podem ter qualquer aparência.
PrincessPrincessPrincess

Já ouviu alguém criticar as princesas Disney por perpetuar um padrão de beleza para garotinhas atualmente? Princesas por definição são lindas, e isso é um fato no imaginário coletivo. Ninguém faz um filme sobre a princesa feia, exceto quando faz de propósito, como foi o caso de Shrek que fez a princesa linda cuja forma verdadeira era um ogro, e que prefere ser um ogro para casar com seu amor verdadeiro. Shrek fez uma subversão notável assim como fez diversas outras subversões na batida história das princesas.

Fiona

E Adventure Time fez isso também? Absolutamente não. Todas as princesas são lindas. A série deixa claro que princesas são um grande fetiche nas terras de Ooo. Ice King, vilão trágico da série, não faz o menor segredo que seu grande sonho é se casar com uma princesa, embora isso seja desconstruído como uma maneira de lidar com a falta de sua noiva cujo apelido era “princesa”. Finn, o herói da série só se envolve com princesas seja romanticamente ou meramente para pegar, ele visivelmente sente uma atração maior por princesas. E presume-se que isso vá além de Finn e Ice King, todos amam princesas, e princesas sempre são lindas.

Princesses
As princesas com quem Ice King quer se casar. Dá para ver que ele tem um tipo.

Mas isso não significa que elas tem todas a mesma cara. Isso significa que o fetiche está no status da princesa. Então se você é uma amoeba baixinha que solta gosma, você ainda pode ser a rainha da festa, pois é uma princesa. E se você é um caranguejo enorme, ainda assim no fim da festa os heróis com espadas vão querer beijar você, pois você é uma princesa. Diferente de Shrek que subverteu um padrão de beleza quando Fiona preferiu a forma de ogro, em Adventure Time, ele é completamente negado. Ninguém liga para a aparência dos outros.

FInnCrabPrincess
Finn prestes a ficar com a Crab Princess.

E embora pessoas sejam obviamente mais atraídas por princesas, isso não se restringe a elas. A namorada de Jake é uma fusão de unicórnio com um arco-íris e ele é um cachorro, mas Jake não esconde o quanto ele é atraído pelo corpo de Lady Rainicorn.

JakeFinn
“E então você chega no nível 5, que é quando ela deixa você explorar todos os 15 pés de barriga que ela tem.”

Mas claro, nesse quesito a série ainda se contém. As duas princesas mais relevantes da história, assim como as duas por quem Finn genuinamente se apaixonou, são as mais humanoides e com aparência visivelmente feminina da série.

Mas mesmo assim, acho notável como ninguém tem vergonha de achar a Muscle Princess ou a Raggedy Princess atraentes e sonhar em um relacionamento com elas. Uma garota com qualquer aparência pode ser uma princesa.

FinnLSP
Pode até mesmo ser um amontoado de caroços flutuantes que está valendo.

Até mesmo a Monster Princess Wife foi amada e considerada linda pelo Ice King. Mas ela é um caso bem tenso de um episódio particularmente pesado (e foda).

PrincessMonsterWife
Uma pena que ela não teve um final feliz.

Será que isso tudo significa que elas são lindas por dentro? Não exatamente.

As princesas podem ser umas escrotas.

killhimnow

Uma marca sutil, porém constantemente presente de Adventure Time é sua ambiguidade moral. Se logo no começo somos apresentados ao herói, seu parceiro mágico, o feiticeiro malvado e a princesa a ser resgatada. Logo vemos como os papéis distribuídos são contrariados. Finn é o herói sem dúvida, e se esforça para ser sempre heroico, mas Jake tem um passado de criminoso onde ele liderou uma gangue de ladrões, do qual ele não tem vergonha nenhuma. Além de constantemente ignorar problemas maiores em prol de interesses menores dele. Ice King, como já disse, é uma figura trágica de um bom homem que sucumbiu a loucura. E a Princesa Bubblegum? Ela é uma cuzona.

Não completamente cuzona. Se fosse classificar no alinhamento moral de Dungeons and Dragons ela seria Lawful Neutral, ela é uma estadista fria, que rege o Candy Kingdom a punho de ferro e está mais do que disposta a fazer qualquer imoralidade que ela acredite que vai ser em prol de seu reino.

Todomundopreso
Bubblegum coloca todo mundo na cadeia depois de ser dita que não podia.

Não somente ela é uma estadista fria, como também é uma cientista fria. Sempre do lado da lógica e raramente no lado dos sentimentos, seus atos como cientistas também podem beirar a crueldade.

Bubblegum
Princesa, que porra você tá fazendo com as pernas desse sujeito? Para fins de curiosidade, essa cena foi cortada da transmissão no Netflix por algum motivo, não sei se é porque envolve uma das protagonistas arrancando a perna de alguém por nenhum bom motivo.

Mas independente desses dois lados, ela simplesmente é uma pessoa pouco empática, que faz o que quer, pois tem poder pra isso, e se importa pouco.

Seu grande contraponto é a Flame Princess, ex-namorada do Finn. Uma princesa extremamente moral, que também rege o Flame Kingdom com um punho de ferro exigindo honestidade de seus súditos 100% do tempo. Apesar de lutar por paz e por honestidade, ela é emocionalmente instável, e tem um pai maligno que constantemente tenta despertar um lado ruim nela. Se suas emoções saem de controle ela pode destruir o planeta em chamas, e por isso passou a infância inteira presa.

PhoebeBonnie
“Você é cruel PB, e não é por ser uma cientista ou por ser uma líder. É porque você é uma pessoa ruim. Algo dentro de você está muito errado.”

E temos a Lumpy Space Princess, outra do trio de princesas que tem destaque maior na série. LSP é arrogante, grossa, violenta, fútil, egoísta e mimada. Faz questão de tratar todo mundo mal, e maltrata crianças. Mesmo sendo uma péssima pessoa, Lumpy Space Princess é uma personagem mais complexa que vai além de sua personalidade e hábitos destrutivos. Ela mora na rua, ao fugir de casa por birra e por ser orgulhosa demais para voltar pra casa, por conta disso come mal, e constantemente tem que enfrentar a realidade de que suas ações mesquinhas têm consequências além do auto-julgamento que ela constantemente se impõe. Em um episódio ela passa o episódio inteiro alucinando que um guaxinim jogava a verdade na cara dela.

GuaxininLSP
“Olha o que você fez LSP, você deixou isso um nojo. Tudo onde você toca fica um nojo, que nem você. Você não acha que você merece nada disso. Você é um rato, nada além de um rato gigante que entrou na casa bacana de alguém.”

Outros exemplos não param. Temos a Breakfast Princess, que também é uma escrota que foi a antagonista do primeiro episódio em que foi relevante. Assim como temos princesas que são super do bem como a Hot Dog Princess ou a Slime Princess. Embora Baby Snaps acredite que ser princesa seja espalhar alegria para crianças, a verdade é que é um título que não diz nada sobre o caráter da menina. Ela pode ser um anjo ou uma canalha e ainda ser uma princesa.

BreakfastPrincess
“Você não tem um reino, vive em uma caixa no mato. Nós só reconhecemos princesas de verdade aqui, não mendigos.”

Então se ser princesa em Adventure Time não fala sobre gênero, afinal o King of Ooo foi uma princesa; Não fala sobre beleza, pois elas são todas desejadas independente da aparência, em um mundo onde padrão de beleza não existe; e não fala sobre atitude uma vez que temos princesas das mais diversas atitudes, de princesas decentes até umas cuzonas, então ser princesa fala sobre o que?

A coroa traz poder.

EmbryoPrincess

Ser princesa é uma questão de poder! A princesa não só possui junto de si mesma um reino, e portanto súditos, e uma região onde a palavra dela é lei, como a princesa possui um grande status. Elas podem ser a rainha das festas. Elas podem ir nas reuniões da realeza. Elas são invejadas pelos homens. E ganham um passe livre para serem escrotas em seu dia a dia, pois elas podem.

PB
“Eu sou a PB, eu espiono todo mundo, não dá nada.”

No episódio The Lich é revelado que o livro Enchiridion para ter seus poderes mágicos ativados, precisava de pedras que possuíam poderes, e todas com exceção de uma se localizavam nas coroas das princesas. Então além de possuírem poder político e poder simbólico, elas ainda carregam consigo literal poder mágico.

A coroa não é só poder simbólico, é um poder literal. Aquelas pedrinhas podem ser usadas para ter acesso à sala do Prismo. Isso além é claro das princesas não estarem desacostumada da arte das batalhas.

FP
“Pare de se esconder e me enfrente como uma princesa!”

De resto também é interessante notar que apesar de termos visto como princesas podem ser cruéis e perversas, a série ainda delega títulos de reis e rainhas a vilões mais explícitos, como o Ice King ou o King of Ooo, mantendo um resquício da lógica da Hasbro. Porém mais interessante ainda, é notar como o título de princesa parece algo muito mais oficial que o de reis.

Na série temos três personagens relevantes com o título de rei. São o Ice King. O King of Ooo e a Marceline (The Vampire Queen). E os três títulos parecem completamente vazios. Tecnicamente o Ice King tem terras, embora seus súditos sejam seus pinguins de estimação e ele aparente não ter autoridade nenhuma sobre absolutamente nada. King of Ooo é um golpista que se autointitulou rei para passar a perna nos outros e não possui poder nenhum. E a Marceline herdou o título de rainha ao matar o Vampire King, mas ela extinguiu os vampiros então não tem ninguém que ela governe (e também fica ambíguo se o rei dos vampiros realmente governou algo, ele parecia mais o chefe de uma gangue).

IceKingdom
Todos saúdam o rei.

Já com as princesas, parece algo muito mais oficial. Praticamente toda princesa na série, se presume que vem de um reino específico. Acho que só a Turtle Princess, que parece que seu reino é sua biblioteca dela, parece uma exceção; todas as demais, presume-se que têm poder, e por isso podem comparecer em reuniões da realeza. Mesmo a Hot Dog Princess com seu cercadinho e soldados-salsicha.

SlimeKingdom
Slime Princess foi uma princesa menor por anos, e então descobrimos que seu reino, o Slime Kingdom era imenso.

Como se qualquer idiota pudesse juntar uma galera e se intitular o rei, a rainha ou qualquer que seja o título, mas não uma princesa. Para se autointitular uma princesa, você precisa ter as pessoas que vejam a sua coroa e se ajoelhem pra você.

PrincessCookie

Mas hey, esse ano a Disney vai lançar a sua primeira princesa da polinésia, mantendo a demanda atual de “primeira princesa de determinada etnia que nunca foi representada como uma princesa.” Vamos aguardar para ver que tipo de princesa a Moana será quando começarem a vender bonecas dela.

Moana

2 thoughts on “As princesas e as princesas de Adventure Time:

  1. Sempre achei as princesas do Hora de Aventura muito interessantes e diferentes. A Princesa Jujuba de início parece ser toda perfeitinha mas não é bem assim!
    Quanto à Moana, acho que o filme vai ser bem legal. A Disney está em uma boa fase atualmente.
    P.S.: acho que você podia ter mencionado um pouco Frozen, que mesmo estrelando princesas que correspondem ao padrão de beleza imposto, se destaca por ser o primeiro filme da Disney de princesa que tem o amor fraternal, não o
    romântico, como foco, além
    de ter duas mulheres em papéis relevantes.

    Liked by 1 person

    1. Acho que Frozen se encaixa um pouco no que eu mencionei com Princess and the Frog, onde eles são o primeiro filme de princesa a fazer-essa-coisa-diferente, mas em sua estrutura continuarem mantendo tudo o que faz a princesa clássica ser criticada.

      Por exemplo, não é como se amor fraternal não tivesse tido um foco grande em Brother Bear, ou Lilo e Stitch, ambos filmes sem princesas, o ultimo colocando duas mulheres de cor em um papel relevante (curiosamente, mesma etnia que aquela onde agora a Moana vai ser ~a primeira~.)

      Mas aí na hora de vender Lilo e Stitch eles colocam só o alienigena como bichinho de pelúcia e nenhuma boneca da Lilo. Pois não é princesa, nem padrão de beleza nem modelo para as menininhas. Enquanto a Elsa e a Anna são.

      Mas Frozen teve um impacto bem grande culturalmente, impossível de ignorar, acho que comi sim uma bola não mencionando o filme em nenhum momento.

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s